Boa noite cinderela: conheça e se proteja

‘Boa noite Cinderela’

Após ter sido noticiado recentemente o triste caso de um jovem gay que foi estuprado e agredido após ter sido intoxicado, e a prisão de um garoto de programa que aplicava este golpe, resolvi falar sobre este crime tão grave que, infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum.

O objetivo é apenas orientar a comunidade para que ela se proteja destes criminosos e cuidem de si e seus pares. Se alguém questionar que estou fazendo apologia ou divulgando o nome de substâncias, prometo que vou ignorá-los absolutamente. Simplesmente parem de culpabilizar a informação e enaltecer a ignorância.

Entre as várias substâncias utilizadas no golpe “Boa noite, Cinderela” ou ‘Easy Date’, em inglês, há a escopolamina (princípio do Buscopam), a quetamina (ou Key), o flunitrazepam e demais benzodiazepínicos, o gama-hidroxibutírato (GHB, Gi) e anti-histamínicos (usados como antialérgicos).

Geralmente são administradas junto com o álcool, configurando o crime “Boa noite, Cinderela”, que consiste em sedar ou gerar sonolência no indivíduo, involuntariamente, tornando-o vulnerável a roubos, violências, estupros e até assassinatos.

1. Escopolamina

É o princípio ativo do Buscopam, utilizado para tratar cólicas, mas também pode levar a efeitos adversos, como alucinações, delírios e sedação. Facilmente obtido em drogarias sem receitas. Existe sua formulação em gotas que facilita a utilização e deposição em copos.

2. Quetamina

A quetamina, já abordada na nossa série ‘Sexo químico’ é uma das substâncias mais populares usadas no sexo químico e em golpes. É uma substância analgésica e anestésica, de uso medicinal humano e de uso veterinário. Geralmente é obtida ilegalmente na forma líquida e transformada em pó. É comumente conhecida como Key, Keyla ou Vitamina K. Seu consumo na maior parte das vezes é por via inalatória, gerando um forte grau de entorpecimento e relaxamento muscular. Porém doses altas ocasionam perda de consciência, vômitos e até dissociação (fuga) da realidade, o ocasionando o famoso ‘buraco’ ou ‘keyhole’. A vítima pode ficar incapacitada inclusive de se locomover.

3. Flunitrazepam e benzodiazepínicos

O flunitrazepam é um benzodiazepínico potente, da famosa família dos ‘tarja preta’ que incluem o midazolam (Dormonid), clonazepam (Rivotril) e o diazepam (Valium). Geralmente são utilizados no tratamento da ansiedade e da insônia, por um curto período de tempo, devido ao alto potencial de dependência. Seu uso combinado com álcool é extremamente perigoso, podendo levar à queda de pressão arterial, à depressão cardiorrespiratória, ao coma e morte. Também de fácil acesso em mercados clandestinos.

4. Gama-hidroxibutírato (GHB)

Também já abordado na nossa série sobre sexo químico. O G, da pronúncia ‘Di’, Gi, Giselle ou GHB (gama hidroxibutirato), é um medicamento sedativo e um tipo de solvente industrial. É também comumente utilizado em sexo químico. Depois de tomar G, o efeito pode durar cerca de duas horas, aumentando o desejo sexual e reduzindo as inibições. Porém sua dose tóxica é extremamente pequena e variável para cada pessoa. Um pouquinho a mais já pode gerar efeitos graves de sedação, vômitos e, principalmente, se associado ao álcool, depressão cardiorrespiratória, coma e até morte. O GHB nunca deve ser misturado com álcool e sua utilização deve ser extremamente lenta e supervisionada. Geralmente é utilizado em pequenos fracos e conta-gotas.

Como funciona o golpe:

As substâncias geralmente são administradas juntas de uma bebida alcoólica, já que o álcool potencializa os efeitos tóxicos. A bebida também ajuda na dissimulação, pois o comportamento da pessoa intoxicada pode se assemelhar com a de alguém alcoolizado. Lembrando aqui que sexo com pessoa alcoolizada sem capacidade de escolha configura estupro. A duração do efeito das drogas varia de pessoa para pessoa e dependem da dose ingerida. Os sintomas mais comuns são amnésia, sonolência, inconsciência, alucinações, vômitos, podendo evoluir para um estado de coma. Também pode ocorrer perda da inibição, impulsividade e diminuição da capacidade de escolha e de discernimento.

Dessa forma, a vítima não é capaz de agir ou tomar decisões de forma consciente, ficando vulnerável às intenções de outra pessoa, algo extremamente propício para abuso sexual e estupro.

Várias geram efeito de amnésia (perda de memória), deixando um lapso na mente, popularmente conhecido como ‘blackout’, dificultando o reconhecimento dos agressores e do crime em si. A duração da intoxicação também varia, indo de 2h a 24h dependendo de quais e da quantidade de substâncias ingeridas.

> Dicas para evitar ser vítima do ‘Boa noite Cinderela’:

• Não aceite bebidas de estranhos. Muitas pessoas fingem que estão bebendo com você ou mesmo embriagadas, mas não estão. Apenas para te enganar. Esteja atento. Compre suas próprias bebidas e pegue-as no balcão.

• No caso de bebidas com lacre, sempre verifique se não está violado, inclusive por questões sanitárias.

• Não consuma sua bebida se ela tiver ficado sozinha enquanto você foi ao banheiro.

  • Tente sempre manter seu copo no campo de visão.

Mantenha-se sempre bem hidratado e bem alimentado, isso ajuda a diminuir o efeito de algumas substâncias, mas a proteção é baixa.

> Dicas se você ou um amigo sofreu este tipo de violência:

1- Leve a pessoa ao pronto-socorro imediatamente, para que ela seja avaliada e receba cuidados de hidratação, antídotos, exames toxicológicos e, nos casos mais graves, medidas de reanimação. Em caso de agressões, curativos, raios X e suturas podem ser necessários.

2 – Se há suspeita ou evidência de estupro, devem ser feitas testagens e ofertada a PEP (Profilaxia Pós-Exposição) para o HIV e demais IST’s. Todas gratuitas pelo SUS. Anticoncepcional de emergência também para as pessoas com útero.

3 – Ofertar suporte psicológico e NUNCA culpabilizar a vítima. ‘Mas o que você estava fazendo lá?’ ‘Por que você saiu sozinha?’ são declarações que não auxiliam em nada.

4 – Comunicar à polícia imediatamente e realizar exame de corpo de delito.

5 – Seguimento psicológico (pois geralmente há trauma), sorológico (exposição sexual) e clínico (em casos de sequelas). #doutormaravilha #wonderdoctor #saudelgbt #infectologia #infectologista #boanoitecinderela #reduçãodedanos #psicologia #saudepublica

1 Comment

  1. Geraldo says: Responder

    Não custa lembrar que toda medicação alopática tem efeitos colaterais: desde o buscopam até o diazepan, como a matéria mostrou. Não por acaso “alertava” a razão social (por décadas) das Farmácias (Drogaria e Farmácia)! Por isso a saúde agradece se tivermos alimentação saudável que traz em si imunidade natural ao organismo! Parece paradoxal a medicina e ciência saber o alcance dos principios ativos, mesmo assim, muitos quererem dissociar uma hipótese de suicidio com estudos de criação de vacina e a cautela da ANVISA em suspender os estudos até a saida do Laudo Legista, concluso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.