ALERTA DE EPIDEMIA: vivemos uma explosão de sífilis!

  A sífilis é uma DST (doença sexualmente transmissível) já velha conhecida da humanidade. Conhecida como a "grande enganadora" pois apresenta um grande espectro de sinais e sintomas que podem simular uma inúmera variedade de doenças, ela vem sido deixada de lado  atualmente em meio a tantos casos de dengue, chicungunya, zika e até mesmo de HIV. Mas ela está entre nós. Forte como nunca.


sifilis (1)

  Dados do Ministério da Saúde mostram que apenas em crianças, por transmissão vertical (de mãe para filho), foram registrados mais de 22 mil casos de sífilis no ano passado, que demonstram um descaso em relação à vigilância das DST´s e cuidados de pré-natal. A sífilis congênita (que atinge os bebês) pode causar inúmeras alterações, incluindo a temida microcefalia como a associada ao Zika vírus.

  Normalmente são registrados cerca de 3,5 milhões de casos de sífilis por ano no país e a incidência vem aumentando principalmente nos grandes centros (em SP estima-se um aumento de 603% nos últimos anos). 

  A doença é causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum, que é transmitida através de contato sexual, pelo sangue e na gestação. A primeira manifestação ocorre após 3 a 4 semanas do contágio, em que aparece o candro duro: úlcera geralmente única, com bordas bem delimitadas, indolor e sem pus. Como são lesões inflamatórias, onde há o acúmulo de células de defesa chamada linfócitos, uma pessoa com sífilis apresenta uma chance muito grande de ser infectada pelo HIV, aumentada em até 500%. Nas mulheres e nos HSH (homens que fazem sexo com homens) esta fase pode passar despercebida pois o cancro pode estar dentro da vagina ou na região perianal. Geralmente a lesão desaparece depois de alguns dias  (mesmo sem tratamento!) e a pessoa entra numa fase assintomática, em que a bactéria continua se espalhando pela corrente sanguínea e se espalha por outros órgãos.

  Após seis semanas, se não for tratada, a pessoa pode apresentar o quadro chamado de sífilis secundária: várias lesões avermelhdas espalhadas pela pele, inclusive em regiões palmares e plantares, associada a febre, linfonodomegalias (aumento dos gânglios linfáticos), prostração e lesões na cavidade oral. Estas lesões também podem desaparecer mesmo quando não tratadas, já que muitas vezes são confundidas com alergias e a pessoa entra numa fase de latência (infectada, mas sem sintomas) e a bactéria caminha para o acometimento de órgãos nobres gerando alterações que vão se manifestar após o período de meses a anos (coração, fígado cérebro, olhos e pele). É a sífilis terciária.

sifilis

 

  O tratamento para a sífilis é simples pois a bactéria muito sensível à penicilina, portanto bastam algumas aplicações intramusculares da substância para eliminar o microorganismo. Mas no Brasil atualmente vive-se uma falta de medicamentos à base deste antibiótico, como a penicilina benzatina (Benzetacil) e a penicilina cristalina. Ou seja, além da população ter se "esquecido" de se cuidar em relação às DST´s, o medicamento mais eficaz para o seu tratamento não está amplamente disponível nos centros de saúde, pronto-socorros e hospitais do país. É alarmante.

 

benze

  O diagnóstico da doença  também é simples, pois é obtido através de um exame chamado VDRL, cujo resultado vem em forma numérica (1/4, 1/8, 1/16, etc)  e cuja queda progressiva indica a eficácia do tratamento ou a fase  atual da doença. Geralmente deve-se confirmá-lo através de um teste treponêmico (mais específico), principalmente quando ele se apresenta em títulos baixos, pela possibilidade de falsos-positivos (pessoas que não têm a doença mas cujos exames estão positivos).

  A principal ferramenta de prevenção é o uso de preservativos, inclusive para o sexo oral. PrEP não protege contra sífilis, nem de nenhuma outra DST, só do HIV!  Testar-se também é muito relevante, sendo já disponível hoje em dia testes rápidos para sífilis em vários centros de testagem do país, em que os resultados saem em cerca de 30 minutos.

sifilis teste

 Portanto-se previnam-se, testem-se! No começo sempre tudo é mais fácil de ser solucionado. E caso sejam diagnosticados, lembrem-se de informar os (as) parceiros (as) para que se testem também e sejam tratados adequadamente. Sífilis é uma doença com complicações sérias, portanto não dê bobeira e aja preventivamente agora.


 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

1 Comment

  1. “what you think he’s going to get a brain transplant!” as Tom the apologist went into his oh so predictable “obama as the multi-level chess player” spiel. Frankly I can’t stand Tom the communist Hartmann and his collectivist pseluo-intedlectual holier than though patronizing ways (ever notice how he feels he needs to explain everything to his audiance and when he does he’s more often than not WRONG!).. Anyway … good job as the Obamabots need to here the truth once in while.

Deixe uma resposta