A pílula anti-HIV: PrEP! Profilaxia Pré-Exposição – Parte 1

  Você tomaria um comprimido ao dia para diminuir em 99% as chances de ser infectado pelo vírus HIV? Tentador, não é? Esta é a proposta da PrEP (Profilaxia Pré-Exposição).

truvada  

  Inicialmente criada para um público específico (HSH: homens que fazem sexo com homens) como casais sorodiscordantes (parceiros HIV positivo e negativo), profissionais do sexo e indivíduos que foram diagnosticados com uma DST nos últimos 6 meses, a PrEP se estabelece como mais uma medida importante para o controle da epidemia de HIV/AIDS.

prepbrasil

  Sua composição engloba dois já velhos conhecidos no tratamento do HIV, o tenofovir e a emtricitabina (molécula relacionada à lamivudina), que são geralmente muito bem tolerados e seguros.  Há diversos estudos em andamento no mundo, inclusive no Brasil, sobre a validade e a segurança da PrEP e os resultados são promissores.

  O estudo iperGay, realizado na França e Canadá, divulgou recentemente a possibilidade de se utilizar a PrEP em regime de demanda (2h antes da exposição e três dias depois), diminuindo o gasto na compra da medicação (já que deverá ser comprada e não será distribuída pelo governo) e facilitando a adesão.

  O medo da seleção de vírus resistentes, embora real, parece menos importante diante dos resultados em questão de controle da epidemia. Importante lembrar que a medicação não protege contra sífilis, gonorreia, HPV e outras DST's, tendo um papel mais adjuvante e não vai substituir o preservativo.

ipergay

  Na dúvida consulte seu infectologista e veja se há real benefício de utilizar PrEP de acordo com seu estilo de vida. Muita gente utiliza preservativo durante o sexo anal mas não durante sexo o oral e fica bastante “encanada” com isso, portanto cada caso merece ser olhado individualmente, atentando paras inseguranças e anseios de cada pessoa.

  Nem todos curtem bareback (sexo anal desprotegido), nem todos são #truvadawhore, mas todos se expõem em maior ou menor grau, portanto a informação é o que faz a diferença e possibilita as melhores escolhas.

hiv-aids  O assunto é interessante e complexo, portanto será abordado mais profundamente em outros tópicos.

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

3 Comment

  1. Nunes says: Responder

    Como faço pra adquirir esse medicamento ?

  2. wyasley feitosa says: Responder

    como faço para adquirir esse medicamento ?

  3. Tarciano says: Responder

    3 perguntas tem que ser  respondidas quanto ao uso de truvada: 

    1) Esta proteção acontecerá, mesmo após anos de uso? 

    2) Quais são os efeitos colaterais a curto, médio e longo prazo? 

    3) Qual a incidência do nro de casos de DST?  Já que a truvada é uma prerrogativa para o não uso de preservativos. 

Deixe uma resposta